PESQUISE NA WEB

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Lesma-do-mar com órgão sexual 'descartável' surpreende cientistas


A observação de uma lesma-do-mar capaz que se reproduzir usando um órgão sexual "descartável" está surpreendendo os cientistas. Pesquisadores japoneses vinham observando há algum tempo os hábitos de acasalamento inusitados da espécie Chromodoris reticulata, encontrada no Oceano Pacífico. Agora, eles publicaram um estudo sobre o tema na revista "Biology Letters", da Real Sociedade Britânica, relatando o registro, pela primeira vez, de uma criatura que pode copular repetidas vezes com o que foi descrito com um "pênis Acredita-se que quase todas as lesmas-do-mar (também conhecidas como nudibrânquios) sejam "hermafroditas simultâneos". Isso significa que esses animais têm tanto órgãos sexuais masculinos quanto femininos e podem usá-los ao mesmo tempo. Conforme explica Bernard Picton, especialista em invertebrados marinhos do Museu Nacional da Irlanda do Norte, os órgãos sexuais, em geral, ficam do lado direito do corpo das lesmas e, durante a cópula, os dois animais se unem por esse lado, fecundando-se simultaneamente. Observações A equipe japonesa observou lesmas-do-mar coletadas em recifes de coral rasos no país, analisando 31 cópulas. Segundo os registros, logo após o acasalamento, essas criaturas se desfaziam de seus órgãos sexuais masculinos, deixando-os no fundo do tanque de estudo. Em apenas 24 horas, porém, as lesmas já tinham se regenerado e estavam prontas para acasalar mais uma vez, com "novos" órgãos sexuais. Um exame mais detalhado da anatomia dos animais revelou que eles tinham parte do "pênis" enrolada em espiral dentro do corpo, o que permitia a regeneração rápida do órgão. As lesmas-do-mar foram capazes de copular três vezes seguidas, com intervalos de 24 horas entre cada uma delas. Os cientistas não deixaram claro se, após o uso dessa "reserva interna", o animal deixa de se reproduzir para sempre ou se é capaz de regenerar a "reserva" em algumas semanas ou meses. Outros animais já foram observados "desfazendo-se" de seus órgãos sexuais após a cópula, entre eles uma espécie de aranha e uma lesma terrestre (Ariolimax). A lesma Chromodoris reticulata, porém, parece ser a única criatura capaz de regenerar os órgãos para usá-los novamente. Para os cientistas, essa capacidade daria ao animal uma vantagem sexual: aumentar as chances de cada lesma passar seus genes adiante. "Esses animais têm uma biologia muito complicada", diz Picton.

Bodião Blue


O Bodião Blue é um membro dos peixes-papagaio gênero scarus. Eles são azuis e pode crescer a até 130 cm. Eles sao encontrados no Atlântico Ocidental, Brasil, Bahamas, Bermudas e Antilhas. Esse aqui foi encontrado em Florida Keys e foi devolvido AO MAR logo após a foto.  MARAVILHOSO...VIVA A NATUREZAAAAAA.....
Fonte: Página de Álvaro Garnero no Facebook: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=471536596254909&set=a.296740263734544.67986.294121593996411&type=1&theater

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Tartarugas sofrem com onda de calor na Índia




Em Nehru Park, em Hyderabad, funcionário joga água nos animais que sofrem com temperaturas que chegam a 43°C, causando muito desconforto. Nas fotos o funcionário refresca a tartaruga (Foto: Mahesh Kumar A./AP). Esta região da Índia sofre com uma onda forte de calor.

domingo, 26 de maio de 2013

Peixe-soldado


Peixe-soldado encontrado por Gustavo Henrique, leitor do G1, enquanto mergulhava na região de Ilha Grande, em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro (Foto: Gustavo Henrique/BBC)

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Veterinários recorrem à acupuntura para recuperar tartarugas nos EUA



Veterinários norte-americanos recorreram à acupuntura na tentativa de salvar tartarugas marinhas de espécies ameaçadas que adoeceram na costa do país. O objetivo da técnica é reduzir o estresse, melhorar o fluxo sanguíneo e fortalecer o sistema imunológico – efeitos que a acupuntura, comprovadamente, provoca nos humanos. No entanto, a acupunturista Claire McManus ainda não sabe se a técnica vai funcionar. “Não há muita literatura disponível sobre acupuntura em tartarugas, então estou me baseando em como tratamos outros animais e humanos”, afirmou. O problema das tartarugas começou quando elas chegaram a praias da região da Nova Inglaterra, no nordeste do país, em busca de comida. A temperatura caiu bruscamente e os animais, que não têm sangue aquecido como o dos mamíferos, ficaram imóveis durante dias. Somente 242 animais puderam ser salvos, e foram levados para o Aquário da Nova Inglaterra para tratamento. Além da hipotermia, os répteis sofriam de problemas como pneumonia e desnutrição. As tartarugas foram tratadas com as melhores tecnologias veterinárias disponíveis, que vão desde rações enriquecidas a antibióticos e tratamento com laser. Recuperadas, elas puderam ser devolvidas à natureza. No entanto, 14 indivíduos não responderam bem ao tratamento e ainda apresentam dificuldades de mobilidade que não os permitiriam sobreviver na natureza. É para recuperar esses animais que os especialistas em acupuntura foram acionados.

terça-feira, 14 de maio de 2013

Cientistas encontram comunidade de animais no fundo do mar nos EUA



Uma expedição científica ao fundo do mar dos Estados Unidos encontrou uma nova comunidade de animais que sobrevivem longe da luz do sol graças à capacidade de gerar energia a partir de substâncias químicas. A Agência Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA (NOAA, na sigla em inglês) enviou um submarino operado remotamente para investigar uma área do fundo do mar de onde saíam bolhas – os cientistas já desconfiavam que as bolhas pudessem sinalizar a produção de energia por meio de elementos químicos. A operação foi feita a 1,6 mil metros de profundidade, na região do Cânion Norfolk, perto da costa do estado da Virgínia. O submarino encontrou mexilhões vivos, que comprovaram a existência de uma cadeia alimentar longe da luz do sol. Dentro das conchas dos mexilhões vivem bactérias capazes de fazer a chamada quimiossíntese. Essas bactérias produzem energia a partir de moléculas de metano. Com equipamentos feitos especificamente para revelar imagens apesar da escuridão do local, os cientistas puderam ver comunidades de mexilhões que se espalhavam por uma área com mais de 10 metros de raio. Além disso, também foram encontrados no local espécies de peixes e de animais invertebrados, como o pepino-do-mar. O submarino coletou ainda lama do fundo do mar para análise em laboratório, para conhecer mais sobre a fauna da área, e os resultados ainda vão ser divulgados.

domingo, 5 de maio de 2013

Lista traz 'bacalhau gigante' e outros peixes que assustam pelo tamanho


O pescador alemão Michael Eisele fisgou um peixe cod, conhecido como "legítimo bacalhau da Noruega", de 47 kg e 1,60 metro. O peixe foi encontrado na região de Breivikfjord, na Noruega. Abaixo, o G1 reúne esse e outros peixes que assustam pelo tamanho.
Fonte: http://g1.globo.com/planeta-bizarro/noticia/2013/05/lista-traz-bacalhau-gigante-e-outros-peixes-que-assustam-pelo-tamanho.html


Durante uma pescaria com a mulher, o americano John White fisgou em setembro de 2011 um peixe-espada de 206 quilos, durante pescaria a cerca de 50 quilômetros ao sul de Islamorada, no estado da Flórida (EUA) (Foto: Andy Newman/AP)


Em junho de 2011, o americano Chad Aldridge e seu pai, Ron, fisgaram um peixe de 159,12 quilos próximo à cidade de Homer, no Alasca. Eles levaram uma hora e 20 minutos para conseguir erguer ao barco o peixe enorme (Foto: Divulgação/ Homer Halibut Derby)


Em 2011, um pescador viveu breves momentos de alegria antes de ter um atum de 400 kg apreendido pelas autoridades em Massachusetts, nos EUA. Carlos Rafael estava com sua tripulação na costa de New Bedford usando redes para capturar espécies de peixes não tão grandes que ficam no fundo do oceano, escondidos junto da areia, quando o enorme atum acabou se prendendo às linhas da rede. O atum foi apreendido, porque a pesca só é legalizada com o uso de vara e molinete na região (Foto: AP/NOAA)


Em março deste ano, o americano James R. Bramlett, que mora em Dora, no estado do Alabama (EUA), quebrou o recorde estadual ao fisgar um peixe robalo-muge de 31,57 quilos no rio Black Warrior. Ele superou por 6,8 quilos o antigo recorde (Foto: Joe Songer/AP)



sexta-feira, 3 de maio de 2013

Além dos peixes (na foto, do gênero “Parapercis”), os cientistas também descobriram um tipo de coral inédito


Fonte: http://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/2898-novas-especies-de-peixes-e-de-coral-sao-identificadas-em-bali#foto-57083

A Indonésia é um arquipélago formado por cerca de 17 mil ilhas - na foto em Bali, espécie do gênero “Meiacanthus”


Fonte: http://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/2898-novas-especies-de-peixes-e-de-coral-sao-identificadas-em-bali#foto-57085

“Siphamia” é um dos gêneros de peixes identificados na ilha de Bali, na Indonésia


Fonte: http://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/2898-novas-especies-de-peixes-e-de-coral-sao-identificadas-em-bali#foto-57086

A ONG Conservação Internacional anunciou a descoberta de novas espécies em Bali - na foto, o do gênero “Apogon”


Fonte: http://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/2898-novas-especies-de-peixes-e-de-coral-sao-identificadas-em-bali#foto-57087

Cientistas encontraram oito novos peixes em Bali - na foto a espécie batizada de "Manonichthys"


Fonte: http://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/2898-novas-especies-de-peixes-e-de-coral-sao-identificadas-em-bali#foto-57088