PESQUISE NA WEB

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Cientistas captam pela 1ª vez imagens de ‘diabo negro do mar’


Cientistas do Instituto de Pesquisa do Aquário da Baía de Monterrey, na Califórnia, conseguiram filmar um exemplar do misterioso "diabo negro do mar", uma espécie de peixe abissal conhecida pelo nome científico Melanocetus johnsonii. Segundo os pesquisadores da instituição, esta foi a primeira vez que este estranho e pequeno animal foi filmado em seu habitat natural. O peixe pode chegar a viver em uma profundidade de até 3 mil metros. O exemplar filmado é uma fêmea de 9 centímetros que se encontrava a cerca de 600 metros da profundidade no cânion submarino de Monterrey, na costa californiana. As imagens foram gravadas por um veículo operado remotamente batizado de Don Ricketts. O "diabo negro do mar" tem uma antena que se ilumina graças a bactérias bioluminescentes, o que o ajuda a atrair suas presas. Elas acabam atraídas para suas temidas mandíbulas, repletas de dentes afiados. As fêmeas podem medir até 20 centímetros, enquanto o macho é dez vezes menor e não pode sobreviver sozinho - ele se acopla à companheira como um parasita. Para os que assistiram ao filme Procurando Nemo, da Disney/Pixar, este peixe é conhecido: ele aparece em uma cena perseguindo os protagonistas do desenho animado.

sábado, 22 de novembro de 2014

No Havaí, tartarugas estão morrendo de tumor por ingerirem nitrogênio concentrado nas algas.


Um estudo publicado pelo portal de conheciemento Peer J revelou que resíduos de atividades agrícolas e poluição urbana estão causando tumores em tartarugas marinhas no Havaí. Pesquisadores das Universidades Duke, do Havaí e da Administração Nacional Ocêanica e Atmosférica dos EUA descobriram que o nitrogênio, usado em excesso na agricultura, acaba sendo absorvido pelas algas marinhas. A triste notícia é que os animais que comem essas algas acabam sofrendo com a formação de tumores nos olhos, nadadeiras e órgãos internos, como é o caso das tartarugas.

Pescador quase é atingido por marlim ao puxar peixe para o barco



O pescador americano Bruce Habour quase foi atingido por marlim enquanto tentava puxar o enorme peixe para o barco em uma pescaria em Nuku Hiva, na Polinésia Francesa. Bruce postou um vídeo no YouTube que mostra o marlim avançando sua mandíbula em formato de agulha contra ele. Assista ao vídeo.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Grávida de 7 meses participa de shows com jacarés nos EUA




Mesmo grávida de sete meses, a americana Martha Rivera continua participando de shows com aligátores (jacaré americano), um dos predadores mais temidos dos EUA, em um centro de resgate de animais selvagens na Flórida. Martha, que tem outro filho de 8 anos, disse que ainda se sente "segura" em subir nas costas de um jacaré. "Eu sei dos meus limites. Sei quais jacarés posso manipular e quais não posso", afirmou ela, em entrevista à ABC News. Viciada em adrenalina, ela disse que não se cansa de ter que "domar" jacarés. Martha chega a entrar na água com os jacarés e a colocar o queixo sobre a mandíbula dos répteis, além de alimentá-los com carne crua e subir em suas costas.

'Encantador de jacarés' é preso por beijar e acariciar répteis na Flórida


Um homem que se autoproclamava "encantador de jacarés" foi preso pelas autoridades da Flórida, nos EUA, depois que a polícia recebeu denúncias de que ele estava nadando e beijando os aligátores (jacarés americanos) no Parque Everglades. Funcionários da Comissão de Conservação de Peixes e Vida Silvestre da Flórida (FWC, em inglês) rastrearam mensagens na página no Facebook de Hal Kreitman, onde encontraram fotos em que ele aparece beijando, acariciando e nadando com jacarés. A FWC avisou a polícia, que usou agentes disfarçados para pegar Kreitman em flagrante. Ele foi preso em Plantation Key acusado de crime ambiental. Kreitman, que deixou a cadeia do condado de Monroe após pagar fiança, alega que não fez nada de errado. Segundo a polícia, Kreitman cobrava US$ 250 (R$ 642) de pessoas que queriam manipular os jacarés no parque.

Pescador filma tubarão-vaca tentando roubar peixe no Canadá


Um pescador canadense filmou o momento em que um tubarão vaca tentava roubar um peixe que ele havia fisgado na costa do Canadá. Na gravação, é possível ver o pescador cortar a linha e, em seguida, o turbarão e o peixe nadarem para o fundo. Assista ao vídeoSegundo sites especializados, os tubarões vacas são pouco conhecidos, pois passam a maior parte de suas vidas em águas profundas e geladas. No entanto, às vezes, algumas das espécies desse tipo de tubarão aparece em águas rasas para se alimentar e dar à luz. Os tubarões vacas fazem parte da família Hexanchidae, sendo que existem 37 espécies diferentes. Fonte: http://g1.globo.com/planeta-bizarro/noticia/2014/11/pescador-filma-tubarao-vaca-tentando-roubar-peixe-no-canada.html

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Crocodilo enorme é filmado roubando refeição de cães selvagens




Um crocodilo enorme foi filmado roubando a refeição de cães selvagens no Parque Nacional Kurger, na África do Sul. Com medo, os cães apenas observam o réptil levar embora o almoço.Assista ao vídeo.
Na cena filmada em agosto, o réptil sai do rio Olifants e caminha até o local onde os cães devoravam uma carcaça de impala, um tipo de antílope. Em seguida, o crocodilo crava suas poderosas mandíbulas na carcaça e a leva para o rio.

sábado, 8 de novembro de 2014

Trio ajuda tubarão encalhado em praia a voltar para o mar na Austrália



Três jovens foram filmados ajudando um tubarão-tigre de quase três metros de comprimento a voltar para o mar depois de ficar encalhado em uma praia de Coral Bay, na Austrália. Segurando pela cauda, eles conseguiram que o animal retornasse ao mar. Assista.
Fonte: http://g1.globo.com/planeta-bizarro/noticia/2014/11/trio-ajuda-tubarao-encalhado-em-praia-voltar-para-o-mar-na-australia.html

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Peixe chama atenção por ter olho em cima da cabeça nos EUA


Um peixe fisgado na Flórida (EUA) chamou atenção por ter um olho em cima da cabeça. Apesar de bizarro, segundo Comissão de Conservação de Peixes e Vida Silvestre do estado (FWC), essa é uma característica da espécie Paralichthys albigutta.Durante a metamorfose, segundo o órgão, o olho direito migra para o lado esquerdo e fica situado no topo da cabeça, o que se torna uma vantagem no momento de se alimentar. Os peixes Paralichthys albigutta ficam deitados no fundo do mar, muitas vezes parcialmente cobertos por areia ou lama, à espera de presa. Quando alguma presa em potencial chega perto, ele consegue atacar rapidamente por conta da posição dos olhos.

Leão-marinho vira hit ao perseguir e 'saltar' dentro de barco no México



Um vídeo incrível publicado por Tony Pescho mostra um leão-marinho perseguindo seu barco em Cabo San Lucas, no México. Mais isso não é tudo: Pescho abriu uma pequena porta para que o animal entrasse na embarcação. Como prêmio, o leão-marinho ganhou um peixe. Publicado no dia 28 de outubro, vídeo recebeu mais de 40 mil acessos. Assista.
Fonte: http://g1.globo.com/planeta-bizarro/noticia/2014/11/leao-marinho-vira-hit-ao-perseguir-e-saltar-dentro-de-barco-no-mexico.html

Robô disfarçado ajuda cientistas a estudar pinguins


Destemido, o sósia de um filhote de pinguim avança sobre quatro rodas na direção de um grupo de bebês pinguins de carne e osso, bem debaixo dos bicos dos adultos, que não parecem se incomodar com sua presença. A infiltração é por uma boa causa: o robô, gracioso e fofinho, é um espião controlado remotamente, criado por cientistas que querem monitorar os ariscos pinguins, sem estressá-los. Uma equipe internacional testou o robô com e sem a camuflagem de pinguim em populações de Pinguins-reis (Aptenodytes patagonicus) em Possession Island, no Oceano Índico, e Pinguins-imperadores (Aptenodytes forsteri) na Antártica. Em artigo publicado na edição de domingo da revista Nature Methods, eles relataram que as duas versões do robô causaram menos alarme do que a presença humana - conforme demonstrado pela frequência cardíaca e o comportamento das aves - além do fato de que o sósia podia se aproximar mais. O robô foi equipado com uma antena capaz de ler os sinais emitidos por etiquetas de identificação eletrônicas instaladas em alguns pinguins para a pesquisa populacional. As etiquetas só podem ser lidas até uma distância de 60 centímetros. "Quando o robô foi camuflado como um pinguim, todos os adultos e filhotes de Imperadores permitiram que se aproximasse o suficiente para a identificação eletrônica", afirmaram. "Foi possível ouvir os adultos e os filhotes cantando na direção do robô camuflado e conseguiu se infiltrar em uma creche sem perturbá-los", prosseguiram. Uma imagem do pinguim-robô mostra uma bola de pelos com nadadeiras, bico afiado e cara pintada em preto-e-branco, como os filhotes de Imperadores, sobre quatro rodas. Em outra imagem, o pequeno robô é visto em meio a um amontoado de pinguins bebê supervisionado por grupos de adultos. Ainda em processo de aperfeiçoamento, o robô se destina a esclarecer os padrões de reprodução e comportamento dos pinguins, bons indicadores da saúde dos recursos marinhos no Oceano Antártico. No passado, cientistas prenderam nas asas dos pinguins dispositivos que transmitiam automaticamente um sinal de rádio, ao receber um determinado estímulo. A transmissão poderia ser feita a longas distâncias, mas os pesquisadores logo descobriram que impediam os pinguins de nadar, prejudicando a procriação e a caça. Atualmente, um chip minúsculo com peso de menos de uma grama é inserido sob a pele das aves. No entanto, o alcance agora é notoriamente menor, forçando os cientistas a se infiltrarem nas colônias para obter os dados de que precisam. O novo robô pode levar a "uma investigação mais ética, que também evita o viés científico pelo incômodo causado aos animais em seu hábitat", afirmou seu co-criador, Yvon Le Maho, da Universidade de Estrasburgo, na França.

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Menina de 12 anos bate recorde juvenil ao fisgar atum de quase 300 kg


Uma menina canadense de 12 anos bateu um recorde mundial juvenil feminino ao fisgar um atum de 280,5 quilos durante pescaria no mês passado com seus pais, John e Chandra Gavin, no estreito de Northumberland. Jenna Gavin, que mora na província da Nova Escócia, lutou por duas horas contra o enorme peixe e não teve ajuda de seus pais, pois, caso eles intervissem, o recorde alcançado pela filha não seria homologado pela Federação Internacional de Pesca Esportiva. Diante da menina, o enorme peixe impressiona: pesa 280,5 quilos, contra 55 kg de Jenna. Além disso, o atum tem quase o dobro do tamanho da garota. O recorde anterior pertencia a uma garota francesa, que havia fisgado um atum de 195 quilos.

Pescadores fisgam pirarucu de 100 kg e dois metros no interior do PI


Uma dupla de pescadores da cidade de Uruçuí, Sul do Piauí, conseguiu fisgar um peixe pirarucu de 100 kg e 2 metros de comprimento. Na mesma pescaria, outro pirarucu, um pouco menor, com 80 kg e 1 metro e 95 centímetros também caiu na rede dos amigos. Os dois pescavam no Rio Parnaíba quando foram surpreendidos pelo tamanho dos peixes que fisgaram. A internauta Ana Paula Chaves fotografou os dois pirarucus e encaminhou as imagens através da ferramenta VC no G1. De acordo com Ismael Vieira, um dos pescadores, os dois lutaram por quase uma hora com os peixes e precisaram da ajuda de cinco pessoas para retirar os pescados da água. ”Foi muito sufoco, mas pedimos a ajuda de mais cinco pessoas para que os peixes fossem retirados do rio. Nunca tinha fisgado peixes tão grandes como esses. É bem gratificante saber que foram dois peixes enormes”, contou. Ismael explicou que a pesca é feita de forma legal e com a autorização dos órgãos fiscalizadores. “Nós temos uma quantidade de peixe para pescar, além disso, é uma atividade feita de forma legalizada. É importante preservamos a natureza”, afirmou o pescador. O pirarucu é um dos maiores peixes de água doce e conhecido também como o bacalhau da Amazônia. Pode atingir até 3 metros e seu peso pode chegar a 200 quilos.

domingo, 2 de novembro de 2014

Casal de sapos faz sexo, ignora o perigo e não vê crocodilo à espreita


Durante um passeio fotográfico em Jacarta, na Indonésia, o fotógrafo Fahmi Bhs, de 39 anos, flagrou uma cena espetacular envolvendo uma dupla de sapos "amorosos" que não percebeu que durante o acasalamento, logo atrás, havia um crocodilo à espreita dos dois. Bhs contou ao site do jornal britânico "Daily Mail" que havia passado 4 horas fotografando animais na região, quando se deparou com esse momento curioso. No entanto, o fotógrafo indonésio afirmou que o réptil "xereta" chegou a abrir a boca, como se fosse dar o bote, mas "desistiu" de devorar os anfíbios, deitando próximo deles apenas para descansar. Além disso, segundo Bhs, um dos motivos para o crocodilo ter ficado com a boca aberta foi para auxiliar na regulação de sua temperatura corporal, depois de ter passado toda a manhã exposto ao sol.

'Caranguejo valentão' enfrenta jacaré e escapa de virar comida nos EUA


O fotógrafo americano Phil Lanoue registrou o momento em que um caranguejo encarou um enorme aligátor (jacaré americano) que tentava devorá-lo. O crustáceo chega a colocar as garras na mandíbula do réptil e, em seguida, foge. Lanoue registrou o duelo "Davi x Golias" no Parque Estadual de Huntington Beach, no condado de Georgetown. Para o fotógrafo, o caranguejo deve ter percebido a aproximação do jacaré, pois ele se virou rapidamente e ergueu suas garras. Com o ataque repentino do caranguejo, o jacaré se assustou e movimentou a cabeça para o lado para se livrar das garras do adversário. O crustáceo aproveitou o momento e fugiu, ficando submerso parcialmente na lama. Derrotado, o jacaré retornou para água, segundo Lanoue.

Cientistas australianos criticam plano para salvar a grande barreira de corais


Cientistas australianos demonstraram ceticismo nesta terça-feira (28) com o plano do governo do país para salvar a grande barreira de corais. "A ciência afirma claramente. Os corais estão degradados e a situação está piorando. Este plano não vai restaurar os corais, nem sequer manterá a grande barreira em reduzido nível atual", disse Terry Hughes, da Australian Academy of Science. O rascunho do plano do governo é uma resposta à preocupação da Unesco, que ameaçou incluir a barreira de corais na lista de patrimônio mundial em perigo. O ministro do Meio Ambiente, Greg Hunt, afirmou que a proposta equilibra a proteção dos corais com a vida marinha e o desenvolvimento sustentável a longo prazo, mas para os cientistas não leva em consideração o impacto da mudança climática, nem aspectos como a qualidade ruim da água ou o desenvolvimento da pesca. "O plano parece estar pensado a curto prazo para responder às preocupações da Unesco sobre a inclusão na lista do patrimônio, ao invés de pensar nos desafios a longo prazo para restaurar os corais", disse Hughes. A grande barreira de corais da Austrália enfrenta as consequências da mudança climática, da má qualidade da água que chega de terra firme, assim como a ameaça das estrelas-do-mar.

sábado, 1 de novembro de 2014

Jacaré de 3m é encontrado com arpão preso a pata em porto em Manaus



Um jacaré-açu de 3 metros foi encontrado em uma área do Porto do São Raimundo, situado na Zona Oeste de Manaus, na manhã desta quinta-feira (30). Segundo o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), o animal foi avistado por seguranças do local com um arpão na pata traseira esquerda. Segundo o Instituto, o jacaré-açu foi levado a um clínica veterinária para a realização de cirurgia para remoção do arpão. Ainda segundo o Ipaam, técnicos tiveram dificuldade para transportar o animal em virtude do tamanho, peso e nível de agitação causada pelo estresse. O Instituto informou ainda que no fim da tarde o jacaré-açu será solto em local que ainda será definido, do outro lado do Rio Negro. A ação de reintrodução terá apoio do Batalhão Ambiental que disponibilizará uma embarcação que permitirá o transporte do animal com segurança. Segundo especialistas do órgão, não é possível precisar o motivo que levou o animal à praia. No entanto, o Instituto destacou que os jacarés-açus têm ampla distribuição na cidade de Manaus e estão em seu habitat natural, próximo à água, podendo, ocasionalmente, surgirem no meio urbano e em locais populosos. "O jacaré-açu é o maior jacaré da região amazônica, porém não é tão agressivo como as pessoas pensam", informou a gerente de fauna, Sonia Canto, especialista em manejo e conservação de fauna silvestre, por meio da assessoria de comunicação.