PESQUISE NA WEB

sexta-feira, 5 de maio de 2017

Com 90 milhões de anos, raro fóssil de réptil marinho é encontrado na França


O fóssil de um grande réptil marinho de 90 milhões de anos, encontrado em uma caverna no centro da França, foi apresentado como uma "rara descoberta" nesta quinta-feira (4) no Museu de Ciências Naturais de Angers. Os ossos fossilizados desse predador pertencem à família dos plesiossauros, grandes répteis que viveram na época dos dinossauros nos mares e oceanos, e foram descobertos em 2013, conta Benoît Mellier, responsável pelo acervo do museu de Angers. Os fósseis foram extraídos e levados para o museu em fevereiro, e serão submetidos a um estudo paleontológico aprofundado antes de serem expostos ao público. Foram encontrados um fêmur de 51 cm de extensão, "peças de um punho ou de um pé", uma série de "pequenos ossos da mão", e uma mandíbula completa de um metro de comprimento. A descoberta desse exemplar, que provavelmente media de cinco a seis metros de comprimento, representa algo "excepcional, e será interessante para todos os pesquisadores que trabalham com répteis marinhos no mundo", disse Peggy Vincent, paleontóloga do Museu de História Natural de Paris. "Esse animal foi achado em níveis que datam de quase 90 milhões de anos atrás. Não sabíamos nada sobre o grupo dos plesiossauros dessa idade em território europeu, a não ser pequenos elementos isolados, mas nada tão significativo e completo", complementou. Fósseis de répteis marinhos dessa idade já tinham sido encontrados no norte da África e nos Estados Unidos. "Saber que existiam na Europa muda muitas coisas. (...) Não é certo, mas é provável que seja uma nova espécie. Se for uma espécie que já existe, significa que houve imigrações", concluiu Vincent.

terça-feira, 2 de maio de 2017

Câmera flagra tubarão comendo carcaça de baleia-jubarte na Califórnia


Uma ma câmera flagrou um tubarão comendo uma carcaça de uma baleia durante 12 horas. A carcaça estava sendo rebocada para evitar que chegasse à costa. A baleia-jubarte morreu por causa de ferimentos desconhecidos perto de uma praia na Califórnia. Apelidada de Scarlet por causa da cor avermelhada, ela era conhecida na região.

Baía dos Porcos é invadida por milhões de caranguejos


A Baía dos Porcos, em Cuba, foi invadida novamente, mas dessa vez por milhões de caranguejos. Eles deixaram as florestas onde vivem em direção às praias. Todos os anos, depois das chuvas de primavera, os caranguejos saem debaixo da terra para reproduzir. O destino é a praia, onde depositam os ovos, sob as ondas. Os bebês nascem no mar e depois retornam ao convívio dos pais. Mas a jornada dos caranguejos pode causar problemas, muitos deles invadem casas e estradas. Infelizmente, nem todos os caranguejos sobrevivem. Muitos são atropelados ao cruzar estradas - e muitos carros acabam tendo pneus furados. Mas eles fazem a alegria dos turistas. A Baía dos Porcos é mais conhecida por dar nome a um dos mais famosos episódios da Guerra Fria. A Invasão da Baía dos Porcos foi uma tentativa frustrada de invadir o sul de Cuba em abril de 1961 por um grupo paramilitar de exilados cubanos anticastristas, que haviam sido treinados pela CIA, a agência secreta dos Estados Unidos. O objetivo da operação era derrubar o governo socialista de Fidel Castro.