PESQUISE NA WEB

Mostrando postagens com marcador Flórida. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Flórida. Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 31 de março de 2017

Peixes-boi não são mais espécie em perigo de extinção


Os peixes-boi não são mais uma espécie "em perigo" de extinção, disseram autoridades americanas nesta quinta-feira (30), declarando sucesso após décadas de esforços para recuperar a população desses animais na Flórida e na região do Caribe. A população de peixes-boi das Índias Ocidentais na Flórida tem hoje cerca de 6.620 exemplares, "uma reviravolta dramática em relação à década de 1970, quando restavam apenas algumas centenas de indivíduos", disse uma declaração do Serviço para Peixes e Vida Selvagem dos Estados Unidos. Os peixes-boi são agora considerados "ameaçados", o que significa que eles estão protegidos pela Lei de Espécies Ameaçadas de Extinção, mas já não são considerados em perigo iminente de extinção em todas as suas variedades. A decisão se aplica ao peixe-boi das Índias Ocidentais, que inclui a subespécie do peixe-boi da Flórida, encontrada no sudeste dos Estados Unidos. Também se aplica ao peixe-boi antilhano, encontrado em Porto Rico, México, América Central, norte da América do Sul e Grandes e Pequenas Antilhas. "Embora ainda haja mais trabalho a ser feito para recuperar totalmente as populações de peixes-boi, particularmente no Caribe, o número de peixes-boi está aumentando e estamos trabalhando ativamente com parceiros para enfrentar as ameaças", disse Jim Kurth, diretor do Serviço para Peixes e Vida Selvagem.

quinta-feira, 9 de março de 2017

Jacaré é flagrado em piscina de casa de família na Flórida


Um jacaré foi flagrado "tomando um banho" na piscina de uma família no condado de Martin, na Flórida, na manhã desta terça-feira, 07/03. Funcionários do controle animal da cidade retiraram o réptil da piscina e o devolveram a um rio próximo. A polícia do condado divulgou uma foto do jacaré, tirada de cima.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Jacaré gigante filmado em reserva na Flórida é comparado a Godzilla


Um jacaré gigante apelidado de "Godzilla" ou "Corcunda" foi filmado por uma moradora de Lakeland, na Flórida, e gerou polêmica nas redes sociais. (Foto: Kim Joiner/Facebook) A americana Kim Joiner postou neste domingo (15) o vídeo, em que o réptil cruza lentamente em frente de passantes assustados com seu tamanho na reserva natual Circle B Bar, no condado de Polk. Internautas chegaram a questionar a veracidade do vídeo, insinuando que ele teria sido manipulado digitalmente, mas outros moradores da região relataram também ter avistado o animal.

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

SeaWorld anuncia morte da orca Tilikum, que matou treinadora em 2010


O parque SeaWorld anunciou que Tilikum, orca que foi responsável pela morte de sua treinadora em 2010, morreu na manhã desta segunda-feira (6) em Orlando, na Flórida. A orca tinha cerca de 36 anos e vivia no SeaWorld de Orlando havia 25 anos, depois de ter sido transferida do parque Sealand of the Pacific, no Canadá. A causa da morte só será determinada após a realização da necrópsia, mas a orca sofria de uma infecção bacteriana grave no pulmão. "A vida de Tilikum vai sempre estar indissoluvelmente conectada com a perda de nossa querida amiga e colega, Dawn Brancheau. Enquanto todos experimentamos profunda tristeza por essa perda, continuamos a oferecer a Tilikum o melhor cuidado possível, a cada dia, dos maiores especialistas em mamíferos marinhos do país", declarou a instituição, em nota. Na morte da treinadora Brancheau, o comportamento foi tão agressivo que as equipes de socorro não conseguiram mergulhar para salvá-la e a treinadora, uma das mais experientes do Seaworld, ficou totalmente indefesa. O terrível incidente, que foi testemunhado por várias pessoas do público que não tinham deixado o local após o final do espetáculo, foi registrado pelas câmeras de vídeo, que o parque se negou a divulgar por serem parte das investigações em andamento. Depois disso, o Seaworld adotou novas medidas de segurança em seus parques de Orlando (Flórida), San Diego (Califórnia) e San Antonio (Texas).

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Algas 'guacamole' obrigam Flórida a declarar estado de emergência


O paraíso com sol e praia que os moradores e turistas da costa leste da Flórida (EUA) normalmente aproveitam no verão foi invadido por uma massa verde viscosa e com um cheiro horrível. A proliferação de algas tóxicas, que por seu aspecto foram batizadas de "guacamole", está prejudicando a economia local. O governador Rick Scott declarou estado de emergência para quatro condados que dependem fortemente do turismo. Estas algas, além disso, têm o potencial de destruir os ecossistemas da região, como explica o pesquisador Henry Briceño, da Universidade Internacional da Flórida. "É um espetáculo dantesco. As águas nos canais e rios têm um tapete verde, um limo cinzento e um cheiro de amônia", descreve Briceño à BBC Mundo, o serviço em espanhol da BBC. As algas "guacamole" afetam desde o estuário do rio St. Lucie - onde há hotéis, residências privadas e clubes de iates - à lagoa Indian River, que abarca as localidades de Stuart, Port St. Lucie e Fort Pierce, e a parte das famosas praias de Palm Beach. Outros quatro condados foram obrigados a fechar praias e viram uma enorme queda na chegada de turistas nos últimos dias. "Isso destruiu nossa economia local e nosso modo de vida. Nossos cidadãos estão demandando ação rápida", disse a representante local Sarah Heard, do condado de Martin. E como chegou-se a esta situação? A "guacamole" é um tipo promitivo de alga, uma cianobactéria, microoganismo fotossintético de aspecto verde-azulado e viscoso, que se multiplicou nestes quatros condados, principalmente na água doce, mas, em menor medida, na água salgada. Em qualquer corpo de água do mundo existem algas, mas a reprodução deste microorganismo neste caso foi fora do comum. Isso se deve ao fato de que uma represa no lago Okeechobee, a oeste de West Palm Beach, estava liberando, até 1º de julho, cerca de 85 metros cúbicos de água por segundo, informou o Corpo de Engenheiros do Exército americano. "Essas águas têm altos conteúdos de nutrientes, especialmente fósforo e nitrogênio, e isso faz disparar a floração das algas", explica Henry Briceño.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Autoridades dos EUA encontram crocodilos 'comedores de gente' na Flórida


Autoridades dos Estados Unidos informaram que encontraram crocodilos-do-nilo "comedores de gente" nos pântanos da Flórida. Foram necessários testes de DNA para confirmar que os três animais eram crocodilos de uma espécie invasora. Diferente dos jacarés comuns na Flórida, esta espécie pode atacar humanos e acredita-se que seja responsável por até 200 mortes por ano em seu habitat na África subsaariana. Especialistas afirmam que é possível que mais destes crocodilos estejam soltos pelos pântanos do Estado americano. Ainda não se sabe com certeza como eles chegaram aos Estados Unidos. "Eles não nadaram da África (até aqui)", disse Kenneth Krysko, especialista em répteis e anfíbios da Universidade da Flórida. Krysko disse à agência de notícias Associated Press que é possível que eles tenham sido trazidos de forma ilegal ao país e a pessoa que trouxe não conseguiu manter os crocodilos em um lugar seguro ou pode até ter libertado os animais de forma intencional. Os crocodilos foram encontrados na Flórida nos anos de 2009, 2011 e 2014. Os testes de DNA para confirmar que eram crocodilos-do-nilo foram feitos apenas recentemente. Esta espécie pode chegar até aos seis metros de comprimento, maior do que os jacarés locais que, geralmente, chegam aos quatro metros de comprimento. Estes crocodilos geralmente se alimentam de peixes, aves e mamíferos incluindo humanos. Eles também são conhecidos por atacar rebanhos. Especialistas em vida selvagem da Flórida temem que espécies de outros países como este crocodilo possam ameaçar o ecossistema do Estado se começarem a se reproduzir nos pântanos do Parque Nacional de Everglades. Um exemplo foi o da píton birmanesa que foi vista pela primeira vez em Everglades na década de 1980 agora já é uma população estabelecida na Flórida. O crocodilo-do-nilo chega a ter seis metros de comprimento, maior que o jacaré nativo da Flórida "Tenho duas palavras para você: píton birmanesa. Se você me falasse 15 anos atrás que teríamos uma população destas estabelecida em Everglades, eu não teria acreditado", disse o biólogo Joe Wasilewski. Espécies de outros países podem causar muitos danos em um ecossistema que não está pronto para recebê-las. Quando as primeiras pítons birmanesas apareceram na Flórida, elas começaram a se reproduzir muito rápido e mantiveram sua população alta se alimentando da vida selvagem local, que é formada por espécies ameaçadas. Entre suas presas estavam até os jacarés locais. Agora acredita-se que existam cerca de 30 mil estas cobras na região. E o governo da Flórida até chegou a permitir a caça da píton birmanesa.

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Milhares de exemplares de peixe-leão foram eliminados das águas da Flórida


Um total de 14.067 exemplares de peixe-leão, uma espécie não nativa que se transformou em uma grave ameaça para o ecossistema da Flórida (EUA), foram eliminados neste ano do litoral americano, informaram nesta quarta-feira as autoridades. Só entre os dias 14 e 15 deste mês, data destinada à conscientização sobre a importância de erradicar a população do peixe-leão, 8.089 exemplares foram eliminados do litoral de Pensacola, no noroeste do estado. Estas conquistas são resultado do plano iniciado pela Comissão para a Conservação da Fauna e a Pesca (FWC, por sua sigla em inglês) da Flórida, que inclui um programa de prêmios em nível estadual com o qual procura incentivar a colaboração cidadã nesta urgente tarefa. "Estes números são um grande exemplo dos esforços da agência por instruir à população e conseguir seu envolvimento na erradicação desta espécie invasora", destacou em comunicado Jessica McCawley, direção da FWC. O FWC explicou que esta espécie de "picada venenosa, tem um impacto muito negativo na vida e no habitat das espécies nativas", por isso que é fundamental "reduzir os impactos deste peixe na zona de recifes" do litoral da Flórida. O peixe-leão ("Pterois antennata") alcança um máximo de 20 centímetros de comprimento e tem como habitat natural os recifes, onde se refugia durante o dia e caça camarões e caranguejos durante a noite. Charles Meyling, um submarinista que participou neste ano do torneio de captura de peixes desta espécie, bateu o recorde do exemplar de maior tamanho capturado em águas da Flórida, um peixe-leão de cerca de 44,5 centímetros. Espécie originária do Pacífico, sua presença foi detectada pela primeira vez em meados do anos 80. Em anos recentes, o número de exemplares de peixe-leão aumentou de forma alarmante e sua população se estendeu por águas do Caribe, do Golfo do México e do litoral atlântico.

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Caçador se surpreende com jacaré gigante que atacava gado


Uma criatura de 4,5 metros de comprimento e pesando nada menos que 360 quilos surpreendeu o caçador Lee Lightsey em sua fazenda na Flórida, depois de passar dias se alimentando do gado que pastava por ali. Tratava-se de um jacaré gigante que foi descoberto nas lagoas artificiais da fazenda de Lightsey enquanto este e seu guia supervisionavam uma expedição de caça, no último sábado. O caçador, que está na profissão há 18 anos, ficou admirado com o animal e afirmou à BBC "nunca ter visto um jacaré daquele tamanho". Quando o animal veio à superfície, ficou a seis metros de distância dos dois, que dispararam e o abateram. Lightsey e seus funcionários precisaram de um trator para removê-lo dali. Segundo o caçador, não foi a primeira vez que eles encontraram jacarés assim nas redondezas da fazenda. Mas normalmente eles eram menores e menos assustadores. "O jacaré é enorme, mas não me surpreende que apareça por aqui. Encontramos muitos outros nos últimos 20 anos que eram um pouco menores", contou. "O que nos chamou bastante a atenção foi o fato de ele estar se alimentando do gado da fazenda, porque encontramos partes dos bois mutilados na água. Precisávamos tirá-lo daqui", explicou. A empresa de Lightsey organiza caçadas de crocodilos, javalis e perus ao redor de sua propriedade, que é destinada a expedições desse tipo. Até então, o maior jacaré já caçado por eles tinha no máximo 4 metros de altura. Ele costuma cobrar cerca de US$ 10 mil para matar um jacaré maior do que 4 metros e US$ 4,5 mil por um jacaré que tenha entre três e quatro metros. Os animais são, em geral, mortos com uma espingarda potente. "Mas sempre procuramos matá-los com o mínimo de sofrimento, sem deixar que eles fiquem feridos antes de morrer", afirmou. A região da Flórida e de Louisiana, nos Estados Unidos, é conhecida por ter uma vasta população de jacarés – estima-se que haja mais de 1 milhão deles em cada um dos dois Estados. Agora, o plano de Lightsey para o "jacaré gigante" encontrado é dissecá-lo e doar a carne para alguma instituição beneficente.

terça-feira, 5 de abril de 2016

Jacaré de quase 3 metros é capturado ao tentar invadir casa nos EUA



Um jacaré de quase três metros foi capturado depois que foi flagrado tentando entrar em uma casa em Plant City, no estado da Flórida (EUA). Um morador ligou no dia 27 de março para o serviço de emergência do condado de Hillsborough após flagrar o réptil na varanda de sua casa. Uma policial da delegacia do condado de Hillsborough ajudou uma especialista em répteis a capturar o jacaré.

quarta-feira, 16 de março de 2016

Jacaré de estimação usa até roupas na Flórida




A americana Mary Thorn está brigando na Justiça para manter seu jacaré de estimação Lakeland, no estado da Flórida (EUA). A mulher cuida do réptil chamado Rambo há 11 anos, mas, como ele cresceu muito (tem quase dois metros), as autoridades de vida selvagem do estado disseram que Mary precisa de uma propriedade de 10 mil metros quadrados para continuar com o jacaré. Rambo, de 16 anos, usa roupas e monta na garupa da moto de Mary. O réptil tem, inclusive, seu próprio quarto na casa.Mary destacou que ela e Rambo são inseparáveis. Segundo ela, o réptil espera na porta quando ela sai sozinha.

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Golfista flagra duelo mortal entre jacaré e cobra enorme nos EUA



O golfista Pat Aydelott flagrou um combate mortal entre um aligátor (jacaré americano) e uma píton em um campo de golfe no estado da Flórida (EUA). Aydelott fez a imagem no Classics Country Club, em Naples. Na imagem, o jacaré parece levar a melhor no duelo e está com a cobra entre suas mandíbulas. Duelos entre jacarés e pítons, por sinal, são comuns na Flórida, mas o resultado muitas vezes é imprevisível. Em 2005, por exemplo, uma píton de quatro metros de comprimento tentou engolir um aligátor de cerca de 2 metros no Parque Nacional de Everglades, na Flórida (EUA), e a batalha acabou na morte dos dois animais.

Jacaré estraga piquenique e ainda rouba sanduíche nos EUA


Dois estudantes da Universidade da Flórida, nos EUA, foram surpreendidos por um aligátor (jacaré americano) faminto quando faziam um piquenique perto do lago Alice, em Gainsville. Segundo Michael Tamayo, o réptil surgiu de surpresa e devorou um sanduíche que ele e o amigo haviam levado para o piquenique. Após o susto inicial, os dois amigos ainda filmaram o jacaré saboreando o lanche que eles haviam trazido.

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Dupla faz até massagem para conseguir retirar anzol de tubarão




Os americanos Cameron Nimmo e Mickey Smith fizeram até massagem em tubarão para conseguir retirar um anzol que estava encravado na boca do animal. A dupla foi filmada na costa do estado da Flórida (EUA) ajudando o tubarão de quase 2 metros. A gravação fez sucesso ao ser compartilhada por Chris Cameron em sua página no Facebook, alcançando mais de 380 mil visualizações (assista). O vídeo também foi publicado pelo grupo "Shark Addicts" no YouTube. Fonte: http://g1.globo.com/planeta-bizarro/noticia/2015/10/dupla-faz-ate-massagem-para-conseguir-retirar-anzol-de-tubarao.html

terça-feira, 14 de julho de 2015

Grupo se surpreende ao capturar camarão 'invasor' gigante nos EUA



Um grupo de pescadores ficou surpreso ao capturar um camarão-tigre-gigante enorme no rio St. Johns, perto de Jacksonville, no estado da Flórida (EUA). Os pescadores disseram que nunca tinha visto um camarão-tigre-gigante tão grande. Considerada uma espécie invasora, a criatura é originária da região Indo-Pacífica. Segundo órgãos ambientais locais, o camarão-tigre-gigante se alimenta de carne e está afetando o ecossistema em First Coast, nordeste da Flórida. O camarão-tigre-grande encontrado no rio St. Johns tinha 30,5 centímetros de comprimento. Eles são agressivos, são comedores de carne e devoram outras espécies de camarão", disse Robin Emmett.

domingo, 3 de maio de 2015

Após 2 meses, tartaruga-cabeçuda é devolvida ao mar na Flórida



Após quase dois meses de tratamento, uma tartaruga-cabeçuda (Caretta caretta) foi devolvida ao mar no sábado (2) em uma praia de Islamorada, no estado da Flórida (EUA). A tartaruga de 54 quilos apelidada de "Miley" ficou em tratamento em um hospital de tartarugas de Florida Keys por sofrer de impactação intestinal (grande massa de fezes que permanece no reto). "No Hospital da tartaruga, nós administrados antibióticos, vitaminas e uma dieta saudável de lulas e peixes", disse Bette Zirkelbach. O hospital é um dos poucos centros veterinários no mundo dedicado exclusivamente ao tratamento de tartarugas marinhas. Mais de 1.500 tartarugas foram tratadas e soltas desde 1986. A tartaruga havia sido encontrada flutuando na costa da Flórida no início de março.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Cerca de 20 peixes-boi são resgatados em cano na Flórida


Cerca de 20 peixes-boi foram resgatados na madrugada desta terça-feira (24) de um cano próximo de Cabo Canaveral, na Flórida, onde aparentemente tentavam se aquecer, disseram autoridades e a mídia local. Imagens de vídeo mostraram um socorrista confortando um dos animais que boiava na entrada do cano de escoamento, que teve que ser cortado durante as várias horas que durou o resgate. O vídeo, publicado online pela rede de televisão Central Florida News 13 e pelo jornal "Florida Today", ainda exibiu um peixe-boi sendo içado até um canal próximo, onde foi solto sob aplausos, e dois outros peixes-boi sendo cuidados depois de serem retirados da água com equipamentos pesados. O resgate em Satellite Beach, cidade na costa do Atlântico a 24 quilômetros do Cabo Canaveral, começou no meio da tarde de segunda-feira, quando Ann Spellman, bióloga da Comissão de Conservação da Vida Marinha e Selvagem da Flórida, deu o alerta, de acordo com o diário "Florida Today". Ela disse ao jornal que um aviso seu levou os trabalhadores a verificarem o cano de escoamento. É comum os peixes-boi saírem da Lagoa Indian River em épocas frias em busca das águas mais quentes dos canais, e eles provavelmente seguiram uns aos outros pelo bueiro, afirmou ela. O resgate terminou às duas da manhã pelo horário local, e a polícia teve a ajuda de especialistas do aquário SeaWorld.

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

'Encantador de jacarés' é preso por beijar e acariciar répteis na Flórida


Um homem que se autoproclamava "encantador de jacarés" foi preso pelas autoridades da Flórida, nos EUA, depois que a polícia recebeu denúncias de que ele estava nadando e beijando os aligátores (jacarés americanos) no Parque Everglades. Funcionários da Comissão de Conservação de Peixes e Vida Silvestre da Flórida (FWC, em inglês) rastrearam mensagens na página no Facebook de Hal Kreitman, onde encontraram fotos em que ele aparece beijando, acariciando e nadando com jacarés. A FWC avisou a polícia, que usou agentes disfarçados para pegar Kreitman em flagrante. Ele foi preso em Plantation Key acusado de crime ambiental. Kreitman, que deixou a cadeia do condado de Monroe após pagar fiança, alega que não fez nada de errado. Segundo a polícia, Kreitman cobrava US$ 250 (R$ 642) de pessoas que queriam manipular os jacarés no parque.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Dupla luta por 4 horas para capturar jacaré de 4,11 metros e 347 quilos


 
Os americanos Keith Kelley e Kelly Sziy capturaram um aligátor (jacaré americano) de 347 quilos e 4,11 metros de comprimento no rio St. Johns, no estado da Flórida (EUA). A dupla contou que lutou durante quatro horas com o enorme réptil. O tamanho do jacaré assustou Keith e Kelly, já que ele era quase do mesmo tamanho do barco em que estavam. Keith disse que pensou que fossem precisar de um barco maior, já que o que eles estavam media apenas 5,2 metros. "Eu nunca tinha visto um jacaré tão grande", disse ele.

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Jacaré de 3,6 m era mantido como 'guarda' e alimentado com gatos


Na cidade de Tampa, na Flórida (EUA), policiais e agentes da FWC (sigla em inglês para a Comissão de Conservação de Peixes e Vida Selvagem da Flórida) ficaram impressionados ao encontrarem um aligátor (conhecido como jacaré-americano) de 3,6 m de comprimento, amarrado à uma árvore como se fosse um animal de estimação. De acordo com o jornal “The Tampa Tribune”, a polícia foi chamada por moradores que viram o réptil enorme em um terreno próximo a um complexo de apartamentos, com uma corda no corpo e amarrada em uma árvore, como se fosse um animal de estimação. Os oficiais afirmam também que o animal pesava 181 kg estava saudável e bem alimentado, e que pessoas não identificadas estariam dando gatos da vizinhança como comida para o animal. “Quando um animal selvagem é alimentado, ele perde o medo de humanos e os associa a comida, o que é perigoso”, explicou o oficial da FWC Baryl Martin. Foi necessário, no entanto, abater o animal, já que ele era muito grande e perigoso e, de acordo com uma lei estadual, jacarés não podem ser realocados para muito longe de onde foram encontrados.