PESQUISE NA WEB

Mostrando postagens com marcador Marlim-azul. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Marlim-azul. Mostrar todas as postagens

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Marlim azul é declarado peixe-símbolo do Espírito Santo



O marlim-azul agora é o peixe-símbolo do Espírito Santo. O novo ícone capixaba foi oficializado nesta quinta-feira (15), através de uma lei sancionada pelo governador Paulo Hartung. O dia 28 de fevereiro também passa a ser o Dia Estadual do animal. “Pescadores do mundo inteiro são fascinados pela quantidade e tamanho dos peixes do litoral capixaba. O marlim-azul é um dos destaques da pesca esportiva no Espírito Santo, e atrai diversos turistas que sonham em encontrá-lo”, disse José Sales Filho, secretário de Turismo do estado. A lei declara o Makaira nigricans, popularmente conhecido como marlim-azul ou espadarte-azul, peixe-símbolo do estado do Espírito Santo e também institui o Dia Estadual do Marlim Azul, que será comemorado anualmente no dia 28 de fevereiro. Vitória tem dois recordes internacionais pela captura de marlim azul e branco: o mundial de marlim azul é um peixe de 636 quilos, que foi capturado em fevereiro de 1992, e o do marlim branco com um peixe de 82,5 quilos, capturado em dezembro de 1979. A pesca esportiva não é uma prática predatória, já que têm como o objetivo é fisgar o animal apenas pelo prazer da pesca. Após pesar, medir e fotografar, o pescador o devolve para a água. Para o que o peixe não fique debilitado existem equipamentos e acessórios diferenciados para esse tipo de pesca. Anzóis, iscas, entre outros, são idealizados com o intuito de não ferir o peixe. O Espírito Santo é conhecido pela pesca esportiva do peixe. A melhor época de pesca do marlim azul é de outubro a março, e do marlim branco, em novembro.

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Brasileiro clica marlim azul atacando corrida das sardinhas na África do Sul


Com uma carreira de 10 anos de mergulho e fotografia ao lado de grandes animais marinhos, o fotógrafo brasileiro Daniel Botelho conseguiu registrar um acontecimento daqueles em que é preciso estar no lugar certo e na hora certa. Na África do Sul, ele clicou uma bola de sardinhas, parte da corrida das sardinhas, atraindo diversos predadores, entre eles um marlim azul, que raramente é visto em ação predatória. A corrida das sardinhas é um dos maiores fenômenos marinhos e ocorre na costa da África do Sul entre maio e julho, quando uma corrente marítima fria vinda do sul “empurra” milhões de sardinhas para perto da costa. Fotografar a migração dos cardumes depende de sorte para contar com alguns fatores, como um bom clima, o mar calmo e uma boa visibilidade debaixo d’água. Para Daniel conseguir ficar três horas ao lado do cardume de milhares sardinhas, foram precisos 35 dias e uma operação terrestre, marítima e aérea. A expedição de Daniel saiu da Cidade do Cabo, cruzou a costa do sul do país para East London, passou pela região de Transkaai, e terminou no vilarejo de Ndumbi, onde, depois de três semanas de saídas para o mar, encontrou as boas condições para o clique. A expedição se deslocava rebocando um bote de acordo com o que um avião que sobrevoava o mar reportava sobre as condições para o mergulho.

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Marlim-azul de 270 kg e avaliado em US$ 500 mil vira atração na Flórida

 
Um marlim-azul de 270 quilos virou atração em Miramar Beach, no estado da Flórida (EUA), enquanto era pesado no sábado (21). O enorme peixe foi fisgado por Steve Brown na última sexta-feira na costa da Flórida. Brown levou quase duas horas para vencer a batalha contra o marlim, que chegou a dar mais de 15 soltos na tentativa de fugir. Segundo o jornal "Northwest Florida Daily News", seu preço chega a US$ 500 mil (R$1,1 milhão).