PESQUISE NA WEB

Mostrando postagens com marcador Caranguejo. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Caranguejo. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 2 de maio de 2017

Baía dos Porcos é invadida por milhões de caranguejos


A Baía dos Porcos, em Cuba, foi invadida novamente, mas dessa vez por milhões de caranguejos. Eles deixaram as florestas onde vivem em direção às praias. Todos os anos, depois das chuvas de primavera, os caranguejos saem debaixo da terra para reproduzir. O destino é a praia, onde depositam os ovos, sob as ondas. Os bebês nascem no mar e depois retornam ao convívio dos pais. Mas a jornada dos caranguejos pode causar problemas, muitos deles invadem casas e estradas. Infelizmente, nem todos os caranguejos sobrevivem. Muitos são atropelados ao cruzar estradas - e muitos carros acabam tendo pneus furados. Mas eles fazem a alegria dos turistas. A Baía dos Porcos é mais conhecida por dar nome a um dos mais famosos episódios da Guerra Fria. A Invasão da Baía dos Porcos foi uma tentativa frustrada de invadir o sul de Cuba em abril de 1961 por um grupo paramilitar de exilados cubanos anticastristas, que haviam sido treinados pela CIA, a agência secreta dos Estados Unidos. O objetivo da operação era derrubar o governo socialista de Fidel Castro.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Ministério do Meio Ambiente do Brasil adia proibição da captura e venda de guaiamum para 2018


O Ministério do Meio Ambiente adiou para 2018 a proibição da captura e comercialização de uma série de animais marinhos em risco de extinção no Brasil. A lista de animais ameaçados inclui os guaiamuns (espécie de nome científico Cardisoma Guanhumi), prato típico do litoral nordestino, que está classificado em situação crítica. A portaria que torna o manuseio desses animais crime de caça a animal silvestre foi publicada no Diário Oficial da União e vem sendo adiada desde 2014. Segundo a portaria, a captura dos guaiamuns, assim como os outros animais, vai ser permitida até o dia 30 de abril de 2018. O comércio, no entanto, é legal até 30 de junho, contanto que os estabelecimentos tenham estoques declarados ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), até 5 de maio do mesmo ano. Quem desobedecer a medida vai se enquadrar no crime de caça a animal silvestre, com multa no valor de R$ 5 mil por pessoa e se a venda ficar comprovada o valor passa para R$ 10 mil. Entre os animais que terão a captura e comércio proibidos em 2018 estão, por exemplo, seis espécies dos peixes conhecidos como 'acaris'. No Nordeste, os guaiamuns fazem muito sucesso na culinária, mas estão ameaçados de extinção. Com a destruição dos manguezais e a captura sem controle, eles quase desapareceram da natureza. Para complicar, a reprodução é muito lenta. Só acontece a partir dos quatro anos de vida e nunca em cativeiro. Quando a medida passar a vigorar, apenas o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) tem a permissão para captura, transportar e armazenar os guaiamuns para fins de pesquisa e conservação do crustáceo. Os guaiamuns são parentes dos caranguejos e chamam a atenção pela cor azulada. Em 2014 já havia sido proibido o comércio por meio da portaria 445/2014, mas o limite da data para a venda tinha sido prorrogada. Segundo o Ibama, conforme outra portaria, a 395 de 2016, o estoque declarado até o dia 6 de março de 2017 podia ser comercializado até o dia 30 de abril. Agora, os prazos seguem, respectivamente, até 30 de abril e 30 de junho de 2018. A primeira lista divulgada pelo Ministério do Meio Ambiente dividia os animais em categorias, de acordo com o risco de extinção. O novo prazo para a proibição vale apenas para as espécies ameaçadas classificadas na categoria Criticamente em Perigo (CR) e Em Perigo (EN) de interesse econômico. As medidas para outros animais, classificados como Vulnerável (VU), por exemplo, compreende fiscalização e uso sustentável, desde que regulamentado e autorizado pelos órgãos federais competentes. Nessa categoria está classificado o sirigado, peixe também bastante presente na culinária nordestina. 

Confira abaixo a lista de animais marinhos que terão a captura e comercialização proibidas em 2018: Cardisoma guanhumi (guaiamum). Lutjanus purpureus (pargo). Sciades parkeri (gurijuba). Genidens barbus (bagre-branco). Scarus zelindae (peixe-papagaio-banana). Sparisoma axillare (peixe-papagaio-cinza). Sparisoma frondosum (peixe-papagaio-cinza). Scarus trispinosus (budião-azul). Leporacanthicus joselimai (acari, cascudo, onça). Parancistrus nudiventris (acari, cascudo, bola azul). Scobinancistrus aureatus (acari-da-pedra). Scobinancistrus pariolispos (acari-da-pedra). Peckoltia compta (acari, cascudo, picota ouro). Peckoltia snethlageae (acari, cascudo, aba branca). Teleocichla prionogenys (joaninha-da-pedra).

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Andada do caranguejo-uça começa e captura fica proibida no ES


O primeiro período de 'andada' do caranguejo-ucá começa no dia 28 de janeiro e termina no dia 4 de fevereiro em todo o Espírito Santo - exceto no município de Anchieta, onde teve início no dia 13 e termina nesta quinta-feira (19). Nesse intervalo, é proibido capturar, transportar, armazenar e comercializar os animais. O objetivo é a preservação da espécie e a reprodução. O Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA) vai intensificar a fiscalização e as ações educativas, já que a pesca predatória ameaça a sustentabilidade dos recursos pesqueiros. Quem desobedecer às determinações vai ser responsabilizado por crime ambiental. A pena prevista é a detenção de um a três anos e multa. A 'andada' é o nome dado ao período reprodutivo do caranguejo-uçá, no qual os machos e fêmeas saem das tocas para o acasalamento e andam pelo manguezal para a liberação de ovos, tornando-se vulneráveis à pesca predatória. Durante os períodos da 'andada', não é permitido o estoque, mesmo que o crustáceo tenha vindo de outro estado ou país. As denúncias devem ser feitas através dos telefones 190, 181 ou 3636-1650. 

Andadas em 2017 (exceto o município de Anchieta): 
1º Período: de 28/01 a 04/02; 2º Período: de 27/02 a 05/03; 3º Período: de 28/03 a 03/04; 

No município de Anchieta: 1º Período: de 13/01 a 19/01 e 28/01 a 04/02; 2º Período: de 11/02 a 18/02 e 27/02 a 05/03; 3º Período: de 13/03 a 20/03 e 28/03 a 03/04.

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Caranguejo nada em círculos na tentativa de escapar de polvo



Um caranguejo foi flagrado nadando em círculos na tentativa de escapar de um polvo perto do cais de Rose Bay, em Sydney, na Austrália. O crustáceo marinho tentou de todas formas escapar do predador, mas, no final, não resistiu e foi capturado. A cena se transformou em sucesso ao ser compartilhada no Facebook, alcançando mais de 5,8 milhões de visualizações desde o dia 22 de abril. A gravação foi postada inicialmente por Bettina Turnbull no YouTube, com mais de 80 mil acessos.

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Três caranguejos-gigantes raros são levados a aquário na França



Três caranguejos-rei, espécie com carne cobiçada para consumo, foram entregues a um aquário na cidade de Brest, na França. Os crustáceos possuem um diâmetro de uma bacia de água e chegaram ao local 2014. O Océanopolis vai cuidar dos animais coletados no Mar de Bering, na parte norte do Oceano Pacífico, próximo à península de Kamchatka, na Rússia e às águas do Alasca. O caranguejo-rei de Kamchatka é uma espécie em extinção. Atualmente, dois caranguejos disputam o “título” de maiores crustáceos do mundo. Kong, um caranguejo-gigante de 40 anos, e vive em um parque aquático de Weymouth, na Grã-Bretanha. Já Crabzilla é parte do acervo do Centro de Vida Marinha de Birmingham.

sábado, 31 de janeiro de 2015

Milhares de caranguejos invadem ilha australiana e criam 'mar vermelho'



Milhares de filhotes de caranguejo vermelho invadiram a Ilha do Natal, na Austrália, durante a migração. A costa leste da ilha ficou tomada pelos crustáceos, criando um "mar vermelho". A cena foi divulgada no dia 12 de janeiro pela "Parks Australia", órgão responsável pela preservação dos parques nacionais do país.

domingo, 18 de janeiro de 2015

Biólogos em Fernando de Noronha tentam preservar caranguejo amarelo gigante



Pesquisadores também tentam salvar uma espécie de caranguejo gigante, que se esconde no arquipélago de Fernando de Noronha. Feixes de luz cortam a escuridão em Fernando de Noronha. São os pesquisadores da Universidade Federal de Pernambuco em uma expedição atrás de um gigante. O caranguejo Johngarthia Lagostoma, conhecido como caranguejo amarelo, ou caranguejo da ilha, só existe em quatro ilhas oceânicas no mundo. Três ficam no Brasil. Os pesquisadores precisam capturar os caranguejos à noite, porque durante o dia eles se escondem do sol. Procuram os locais mais úmidos. Ficam dentro dos buracos nas cavernas na maior ilha de Fernando de Noronha. E como eles têm hábitos noturnos, na escuridão, aumentam as chances de capturá-los.

domingo, 2 de novembro de 2014

'Caranguejo valentão' enfrenta jacaré e escapa de virar comida nos EUA


O fotógrafo americano Phil Lanoue registrou o momento em que um caranguejo encarou um enorme aligátor (jacaré americano) que tentava devorá-lo. O crustáceo chega a colocar as garras na mandíbula do réptil e, em seguida, foge. Lanoue registrou o duelo "Davi x Golias" no Parque Estadual de Huntington Beach, no condado de Georgetown. Para o fotógrafo, o caranguejo deve ter percebido a aproximação do jacaré, pois ele se virou rapidamente e ergueu suas garras. Com o ataque repentino do caranguejo, o jacaré se assustou e movimentou a cabeça para o lado para se livrar das garras do adversário. O crustáceo aproveitou o momento e fugiu, ficando submerso parcialmente na lama. Derrotado, o jacaré retornou para água, segundo Lanoue.