PESQUISE NA WEB

Mostrando postagens com marcador Baleia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Baleia. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 2 de maio de 2017

Câmera flagra tubarão comendo carcaça de baleia-jubarte na Califórnia


Uma ma câmera flagrou um tubarão comendo uma carcaça de uma baleia durante 12 horas. A carcaça estava sendo rebocada para evitar que chegasse à costa. A baleia-jubarte morreu por causa de ferimentos desconhecidos perto de uma praia na Califórnia. Apelidada de Scarlet por causa da cor avermelhada, ela era conhecida na região.

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Baleia morta é retirada do mar após 'operação de resgate' em Santos, SP



Uma operação de resgate foi montada na tarde deste domingo (24), em Santos, no litoral de São Paulo, para retirar uma baleia morta que apareceu boiando no mar da cidade. O animal, que é um filhote, foi trazido até a faixa de areia com ajuda de embarcações Grupamento de Bombeiros Marítimo (GBMar) e depois colocada dentro de um caminhão com auxílio de um trator. A cena chamou a atenção de centenas de pessoas que curtiam o fim de tarde na Ponta da Praia. Segundo apurado pelo G1, nove baleias já foram encontradas mortas em praias do Litoral Sul Paulista desde o mês de maio. Além de Santos, três baleias encalharam em Guarujá, três em Ilha Comprida, na região do Vale do Ribeira [sendo a última na manhã deste domingo], uma em Mongaguá e uma em Peruíbe. Segundo biólogos e veterinários do Instituto Gremar, responsável pela reabilitação e resgate de animais marinhos na região, a baleia encontrada em Santos é da espécie franca, comum no litoral catarinense. Pesquisadores farão exame necrológico para descobrir as causas da morte.

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Baleia de 10 metros é encontrada morta na praia do Tamborete



Uma baleia foi encontrada morta na beira da praia do Tamborete, em Laguna, no Sul catarinense, na quinta-feira (14). De acordo com a Polícia Militar Ambiental, o animal é uma baleia-de-bryde. Moradores da região avistaram a baleia no final da tarde de quinta e acionaram a polícia. Na manhã desta sexta-feira (15), técnicos do projeto de monitoramento de praias da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) estão no local fazendo o isolamento da área. Segundo a bióloga e diretora do Projeto Baleia Franca, Karina Groch, o animal é adulto e tem aproximadamente 10 metros de comprimento. A "bola" que aparece nas fotos é a língua inchada do animal. "Ela tem hábito costeiro. Já temos registros dessa espécie aqui na região e mesmo em toda costa brasileira. Ainda não foi possível saber o sexo do animal e para isso estamos fazendo uma necropsia, até pra apurar as possíveis causas da morte", explicou a bióloga. De acordo com a prefeitura de Laguna, o animal será enterrado na mesma praia onde encalhou, após as análises dos biólogos.

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Drone registra ataque feroz de tubarões contra baleia na Austrália




Passageiros em um cruzeiro de 14 dias encontraram uma cena inusitada na baía dos Tubarões, na Austrália: cerca de 70 tubarões-tigre se alimentando de uma baleia morta. O grupo de turismo Eco Abrolhos disse à BBC que a baleia jubarte havia morrido de causas naturais. A cena, segundo descreveu a empresa, foi "algo para contar aos netos".

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Baleia morta é encontrada em praia de Vila Velha, ES


Uma baleia morta foi encontrada na areia da praia de Interlagos, em Vila Velha, Grande Vitória, na manhã desta quinta-feira (15). As imagens foram enviadas pelo morador Petrus Romagna. Segundo biólogo, animal é filhote e morreu desnutrido. Petrus contou que estava caminhando pela praia por volta das 6h desta quinta-feira quando avistou a baleia na areia. A Prefeitura de Vila Velha foi procurada pelo G1 e informou que a CTA - Meio Ambiente, empresa que monitora as praias do estado em parceria com os institutos Baleia Jubarte e Orca, vai até o local verificar a situação. Caso o animal esteja realmente morto, vai ser feita uma necrópsia e, depois, a empresa vai contar com o apoio da prefeitura para retirar a baleia. O gerente da CTA, Bruno Berger, falou que uma equipe foi enviada ao local. "Tivemos uma ocorrência de um golfinho morto em Jacaraípe, na Serra. Mas lá, o atendimento era prioritário, por se tratar de uma praia urbana. Mesmo assim, já enviamos técnicos para Interlagos", destacou.

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Drone capta imagem impressionante de bebê orca ameaçado e sua mãe



Cientistas americanos usaram um drone para tirar fotografias de um filhote de orca nadando ao lado de sua mãe nas águas do estado de Colúmbia Britânica, no Canadá. O bebê é o quinto nascido desde dezembro na população ameaçada de orcas que vive na região. Pesquisadores da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos Estados Unidos (NOAA) e do Aquário de Vancouver, na Colúmbia Britânica, captaram imagens do par usando um drone que sobrevoou as orcas a pouco mais de 30 metros de altura.

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Baleia aparece na costa da Austrália e atrai centenas de espectadores


Centenas de espectadores se reuniram nesta segunda-feira (10) para observar uma baleia-jubarte que apareceu na costa da Austrália, perto da cidade de Gold Coast, que fica no sudeste do país. Muitos embarcaram a bordo de barcos fretados para observar melhor o animal transitando nas águas da região. Autoridades acreditam que pode ser uma baleia chamada "Migaloo", uma das que vivem nas águas do estado de Queensland, mas isso ainda não está confirmado. Todo ano, até 5 mil baleias-jubarte partem das águas da Antártica e migram para o norte, na região da costa leste da Austrália, entre abril e agosto, para se alimentarem e se reproduzirem em águas mornas.

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Baleia que apareceu em Puerto Madero é encaminhada para oceano


Uma baleia que surpreendeu moradores e turistas de Buenos Aires ao aparecer nadando entre os barcos em Puerto Madero nesta segunda-feira, foi encaminhada de volta para o oceano nesta terça-feira (4), segundo a Reuters. O animal, medindo 6 metros, apareceu perto do Yacht Club Argentino na manhã desta segunda, em um desvio inesperado da migração de sua espécie, que parte do sudeste do país para se reproduzir nas águas mais quentes do nordeste brasileiro entre junho e novembro. Um grupo de embarcações da prefeitura de Buenos Aires conseguiram guiar a baleia pelo Rio da Prata, de onde se esperava que ela se encaminhasse para as águas do Oceano Atlântico. Nas águas do rio, o animal estava correndo risco e mostrava sinais de malnutrição e ferimentos. "O governo da cidade está fazendo tudo o que pode para colaborar para que o animal nade até águas abertas e, esperamos, para o oceano", disse Miguel Iniguez, presidente da Cethus Foundation, ONG focada nos cetáceos, entre os quais se inclui a baleia. A visitante de Puerto Madero é da espécie Megaptera novaengliae. Sua aparição rara na capital argentina atraiu muito curiosos ao bairro, que é um impotante centro turístico e gastronômico.

sábado, 31 de janeiro de 2015

Baleia envolve mergulhadores em 'turbilhão de fezes'



O canadense Keri Wilk mergulhava com seus amigos na ilha caribenha de Dominica quando foi surpreendido por um 'turbilhão de fezes' proveniente de uma baleia cachalote, que deixou os amigos literalmente envoltos nos excrementos. Veja galeria completa de fotos As águas cristalinas do mar caribenho ficaram com cor de leite achocolatado, eles contaram. Mas pelo menos o desagradável incidente rendeu fotos belas e incomuns. "Nunca tinha ouvido falar disso e não conheço ninguém (que tenha tido essa experiência). Pode ser a primeira vez em que isso foi documentado em fotos", disse Keri.

domingo, 7 de dezembro de 2014

Baleia é encontrada em praia do litoral de SP e vira 'atração turística'





Uma baleia morta foi encontrada por banhistas na praia Gaivota, em Itanhaém, no litoral de São Paulo, na manhã deste sábado (6). O corpo do animal estava encalhado na faixa de areia e se encontrava em avançado estado de decomposição. Uma retroescavadeira da prefeitura foi deslocada até o local e após a baleia ter sido cortada, o animal foi enterrado na areia. Os trabalhos acabaram chamando a atenção de dezenas de pessoas, que aproveitaram a oportunidade para observar o mamífero mais de perto. Em algumas das imagens, diversas pessoas tentam cobrir o nariz para evitar o mal cheiro exalado pelo cadáver do animal marinho.

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Baleia encontrada morta pode ter sido atropelada por navio, diz polícia


O filhote de baleia jubarte encontrado morto em Florianópolis pode ter sido atropelado em alto-mar por um navio, segundo a Polícia Militar Ambiental. O subtenente Marcelo Duarte, da PMA, informou que o animal apresentava um hematoma na musculatura e tinha as costelas quebradas. Ele disse que o filhote foi enterrado numa área de restinga no próprio bairro. O mamífero foi encontrado morto na manhã desta quinta-feira (16) na Praia dos Ingleses, no Norte da Ilha de Santa Catarina. Segundo o subtenente, o animal tem oito metros de comprimento e pesa cerca de 10 toneladas. A área onde o animal estava nesta manhã atraiu a atenção de curiosos. A polícia informou que o laudo indicando a causa da morte da baleia deve ser divulgado em sete dias. Amostras de órgãos do filhote foram coletadas por uma Ong, pela PMA e pelo Laboratório de Mamíferos Aquáticos (Lamaq), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). A baleia jubarte costuma transitar em mar aberto. De acordo com a pesquisadora, o filhote encontrado na praia deve ter morrido no caminho, e o vento e a maré acabaram arrastando o corpo para a areia. Representantes do Lamaq também foram até o local onde o mamífero foi encontrado. Segundo a pesquisadora da UFSC, Bianca Romeu, a baleia jubarte migra para a Bahia para se reproduzir e depois volta para a Antártida. Nesta época do ano, a espécie está retornando do Nordeste brasileiro.

sábado, 4 de outubro de 2014

Baleia com 2 cabeças encontrada no México surpreende comunidade científica





 
Está causando surpresa e curiosidade entre a comunidade científica internacional a carcaça de baleia-cinzenta encontrada em Laguna Ojo de Liebre, no México. Com dois metros de comprimento, ela mostra dois filhotes da espécie unidos pela barriga. Tanto tubarões como alguns tipos de baleia siameses já foram encontrados anteriormente, mas este é o primeiro caso documentado em baleia-cinzenta. Acredita-se que os filhotes não tenham resistido ao parto, até porque, como observou Alisa Schulman-Janiger, pesquisadora da Sociedade Americana de Cetáceos, eles não se desenvolveram totalmente. A carcaça foi recolhida para análise, sendo que os pesquisadores ainda procuram achar a mãe (não se sabe o que lhe poderá ter acontecido) e descobrir um pouco mais sobre esse fenômeno raro da natureza.

sábado, 30 de agosto de 2014

Baleia aparece no litoral da cidade de Nova York

 
Uma baleia apareceu nesta quinta-feira (28) no litoral da cidade de Nova York, nos Estados Unidos. Segundo a organização de conservação Wildlife Conservation Society (WCS), o animal foi visto a cerca de 10 km da costa da cidade. As águas do litoral de Nova York servem de local de alimentação para muitas espécies marinhas, incluindo baleias e golfinhos.

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Estudo relaciona encalhe de baleias na Austrália com desnutrição

 
A desnutrição pode explicar o forte aumento do número de baleias-jubartes que encalham na costa ocidental da Austrália, indicaram nesta quarta-feira (28) cientistas em uma conferência em Perth. A necropsia dos cetáceos, em sua maioria espécimes jovens, mostrou que as baleias encalhadas sofriam de desnutrição. De acordo com Carly Holyoake, da Universidade Murdoch, "a maioria [dos exemplares] tinha um nível de gordura muito baixo, indispensável para a energia, a regulação térmica e a capacidade de flutuar", acrescentou. Segundo a agência France Presse, entre 1989 e 2007, até três baleias-jubartes encalhavam todos os anos na costa ocidental da Austrália, sobretudo na parte sul. O número aumentou para 13 em 2008 e para 46 em 2009. Em 2010 e 2011, encalharam, respectivamente, 16 e 17 baleias. Entre as causas da desnutrição desses mamíferos aquáticos figuram a intensificação da pesca comercial de krill (para as explorações piscícolas) e a influência, ainda pouco conhecida, do aquecimento global nas quantidades de krill nas águas. O krill é um elemento chave na dieta das baleias. Na última semana, o governo brasileiro tirou a jubarte da lista de espécies ameaçadas de extinção graças ao aumento da população desses animais no litoral do país, onde cruzam e geram novos filhotes. A espécie foi reclassificada para "quase ameaçada", status que demanda a continuidade de trabalhos de conservação. Segundo o MMA e o Instituto Baleia Jubarte, há quase três décadas existiam entre 500 e 800 animais vivendo apenas na região de Abrolhos, no sul da Bahia – principal concentração dessas baleias. Em 2011, quando foi realizada a última contagem aérea, foram avistados 14 mil animais. Até o próximo censo, previsto para este ano, o número pode saltar para 20 mil. No país, elas são encontradas na costa do Espírito Santo e Bahia entre julho e novembro, onde permanecem para procriação. De dezembro até junho, seguem para a Antártica, onde se alimentam de krill (invertebrados parecidos com o camarão).

sábado, 17 de maio de 2014

Orcas são vistas no mar do Rio de Janeiro

 
Um grupo que praticava pesca submarina registrou várias orcas por volta das 12h deste sábado (17) no mar do Rio. O flagrante foi feito perto das Ilhas Tijucas, a quatro quilômetros da costa da cidade, entre as praias de São Conrado e da Barra da Tijuca. De acordo com o analista de mercado financeiro Bruno Barros, o grupo foi praticar pesca submarina na ilha, quando foi surpreendido com os animais. "Eu fui mergulhar em uma laje submersa para fora do mar, foi quando eu vi as orcas nadando por fora. Pensei: Não vou cair ali porque essa baleia é brava, ela não é dócil. Aí resolvi cair pertinho da pedra. No primeiro mergulho, quando eu estava voltando para o barco, meu amigo gritou: “As orcas estão aqui”. Elas subiram ao lado do barco, molharam todos no barco e estavam há uns 15 metros de mim. Eu subi no barco rápido, e elas foram acompanhando a gente, chegando bem perto do barco”, afirmou.

sábado, 26 de abril de 2014

quinta-feira, 13 de março de 2014

Baleia de 28 milhões de anos usava sistema de ecolocalização, diz estudo

 
Um parente distante das baleias dentadas, botos e golfinhos que viveu há cerca de 28 milhões de anos já possuia a ecolocalização, um sistema biosonar baseado emissões de sons de alta frequência e seus ecos, segundo estudo publicado esta semana na revista "Nature" feito por cientistas do Instituto de Tecnlogia de Nova York, nos Estados Unidos. Fósseis da criatura chamada Cotylocara macei foram descobertos na região de Charleston, litoral da Carolina do Sul. Segundo o professor Jonathan Geisler, que liderou os estudos desta nova espécie, as baleias dentadas, golfinhos e botos produzem sons de alta frequência através de uma área contraída nas passagens nasais abaixo do espiráculo (orifício respiratório por onde a baleia expele a água), enquanto todos os outros mamíferos, incluindo os seres humanos, produzem sons na laringe. O mecanismo de reprodução de som nas baleias dentadas é complexo, com grandes músculos, bolsas de ar e gordura. Geisler disse que o estudo do crânio de Cotylocara macei levou os pesquisadores à conclusão de que ela também era dotada do sistema de ecolocalização que ajudou o animal a encontrar comida durante a noite ou em águas turvas águas do oceano. Segundo o pesquisador, a Colytocara tinha uma cavidade profunda no topo da cabeça. "A anatomia do crânio é realmente incomum. Eu não vi nada parecido em qualquer outra baleia, viva ou extinta", disse Geisler.

sábado, 6 de julho de 2013

Estudo sugere que sonares militares prejudicam espécie de baleia


Cientistas da Universidade St. Andrews, no Reino Unido, descobriram que as baleias-bicudas-de-cuvier (Ziphius cavirostris) são muito sensíveis aos sonares militares, equipamentos que emitem frequências acústicas para auxiliar na navegação, pesca ou, ainda, em casos de guerra, para localização de submarinos. Os dados, publicados nesta semana na revista “Biology Letters”, apontam que esses mamíferos aquáticos, quando expostos a este tipo de som, inclusive a níveis baixos, reagem de maneira extrema. Eles interrompem sua alimentação ou nadam de forma rápida para se afastar do local de transmissão. Além disso, só retomam seu comportamento normal cerca de quatro horas após a exposição ao sonar. Segundo um dos pesquisadores, o resultado do estudo pode ter implicações importantes para a Marinha britânica que, a longo prazo, pode trabalhar para reduzir os impactos sobre essas espécies.

sábado, 22 de junho de 2013

Estudo diz que baleia considerada extinta volta a aparecer na Oceania


Estudo publicado nesta segunda-feira (27) mostra que exemplares da baleia-franca-austral (Eubalaena australis), caçadas até a extinção nas proximidades da Nova Zelândia, estão retornando aos poucos para a região. De acordo com pesquisadores das universidades de Oregon (Estados Unidos) e Auckland, pela primeira vez em décadas uma pequena população de baleias que vivia nas proximidades da Antártica rumou para ilhas da Oceania, considerado seu antigo habitat de reprodução. Registros históricos informam que existiam ao menos 30 mil exemplares no século 19, que migravam da região gélida para as baías da Nova Zelândia e Austrália. Mas a espécie entrou em extinção devido às grandes caçadas, que tiveram seu pico entre 1830 e 1840. Desde então, eram raras as aparições do mamífero na costa. "A baleia-franca-austral é extremamente graciosa e muito espetacular de se ver", afirmou Scott Baker, um dos pesquisadores responsáveis pelo estudo. "Costumava haver milhares delas na Nova Zelândia e agora as baleias estão redescobrindo seu lar ancestral. Vai ser interessante ver como isto vai se desenvolver", disse. O mamífero pode atingir até 60 metros de comprimento e pesar até 100 toneladas. A idade média é de pelo menos 70 anos. Estima-se que existam atualmente cerca de 7.500 baleias-franca-austral em todo mundo.

Biólogos avistam no Canadá a primeira baleia negra em 60 anos


Uma baleia negra do Pacífico Norte, um dos animais mais ameaçados de extinção do mundo, foi avistada nos últimos dias pela primeira vez em mais de 60 anos na costa ocidental do Canadá, anunciou nesta quinta-feira (20) o ministério de Pesca e Oceanos. Um navio da guarda-costeira canadense que cruzava as Ilhas da Rainha Carlota, na fronteira com o estado americano do Alasca, pôde observar o animal em várias ocasiões. "Quando percebemos o que estávamos vendo, não podíamos acredita"', declarou em um comunicado James Pilkington, biólogo do ministério a bordo do navio. A baleia negra foi vista em águas canadenses apenas seis vezes durante o século 20, a última há 60 anos. A espécie é considerada uma das mais ameaçadas do planeta. Esta baleia de pele negra e mandíbula curva pode medir até 17 metros e pesar 90 toneladas. Durante o século 19, foi capturada intensivamente, até que nos anos 1960 sua pesca foi declarada ilegal. Calcula-se que restem entre 300 e 400 espécimes no Canadá, Alasca e Mar de Behring.